Rio de Janeiro, RJ

Instituto Galpão Gamboa

Somo um espaço que visa a democratização da cultura, e oferece diversas atividades aos moradores da região portuária do Rio de Janeiro

Sobre a ONG

O instituto Galpão Gamboa (IGG) é uma organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP) inaugurada em 2009. Tem como objetivo através da cultura, do esporte, da educação e da saúde, criar oportunidades de formação e inclusão social para crianças, adolescentes, adultos e população da terceira idade. A iniciativa social do IGG se iniciou em 2006 quando o ator Marco Nanini e o produtor Fernando Libonati encontraram o espaço ideal para os ensaios de peças de teatro em um galpão na Gamboa.

Esta região passou por distintos momentos da história. No Brasil colonial, a região portuária tinha grande importância. A região da Gamboa era onde chegavam os escravos e onde mais se recebeu escravos nas Américas. Hoje o Cais do Valongo, local da chegada dos escravos é património da Humanidade, título concedido pela a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (UNESCO).

O IGG intervém na reformulação da utilização de um espaço palco de importantes lutas por direitos e liberdade, oferecendo, hoje, empoderamento e fortalecimento da economia local.

Nas regiões da Gamboa, Santo Cristo, Saúde e parte do Centro estão o público atendido pelo IGG. Verificando os dados da região podemos encontrar a precarização do acesso aos serviços básicos e as expressões da questão social que encontramos nas áreas pobres do Rio de Janeiro.

O IGG atua oferecendo cultura, a defesa e a conservação do patrimônio histórico e artístico; um espaço de criação onde profissionais da área artística possam interagir com a população da região, através de práticas culturais e esportivas, Promoção da cultura através da realização de projetos culturais e apresentações de cunho artístico e cultural, bem como a gestão de casas de cultura e de espetáculos. Assim a instituição tem como objetivo reintegrar os usuários à vivência na sociedade.
O IGG atualmente realiza atividades de ensino, pesquisa, produção de espetáculos, geração e disseminação da produção de bens, atividades e serviços artísticos-culturais e sociais, incentivando o desenvolvimento integrado e responsável da região, bem como o aprendizado cultural brasileiro em seus múltiplos aspectos e vocações.